Que Farra é essa?

Apenas assistir mais de 100 pessoas vibrando seus corpos no espaço, com olhos abertos e úmidos e o coração querendo sair pela boca, já tinha sido para mim uma experiência no mínimo marcante, em anos passados. Foi em meados de 2012, talvez, sem saber o que aconteceria por ali, resolvi ficar para ver, ouvir e saborear o que aquele povo vestido de branco tinha para me contar. Além relação visual com os atores, a rosa que me foi entregue, o batismo, a poesia, a música cantada para os meus olhos, o presente que recebi foi algo que eu ainda não tinha uma compreensão racional, apesar dos inúmeros signos explícitos nas cenas e na suas relações com a trilha sonora que exaltavam, de forma tocante, algumas das maiores mazelas humanas.

E foi desde que assisti a Farra de Teatro pela primeira vez que decidi que em algum momento da minha vida eu estaria do lado de lá. Eu sabia que algumas sensações novas me surpreenderiam, embora eu já tenha vivenciado a energia que o teatro deposita sobre o corpo de um ator em cena. Neste ano resolvi pedir licença aos meus joelhos e me inscrever para participar da Farra de Teatro. Idealizada pelo Depósito de Teatro, a Farra é inspirada na “Farra dos Atores” criada pelo falecido diretor carioca Márcio Vianna e tem sido apresentada todos os anos em Porto Alegre desde 1995. O espetáculo propõe uma maratona teatral de 40 cenas previamente ensaiadas com altíssima carga dramática e aproximadamente cinco horas de duração. Cada tema que compõe a trilha sonora se funde perfeitamente com a cena apresentada causando, tanto nos atores quanto no público, uma série de sensações fortes, reflexões e catarses de extremo significado.

Farra de Teatro 2016
Farra de Teatro 2016

Como ator participante não posso deixar de dizer que não existe uma técnica que supere a entrega. A começar pelo árduo esforço físico que os ensaios exigem onde, inspirado nos exercícios do diretor polonês Jerzy Grotowski, o corpo deve ser levado à exaustão para que a mesma seja ultrapassada, produzindo um estado físico livre de pensamentos cotidianos e completamente disponível para o improviso e a criação. Pura entrega! Assim como em práticas de meditações ativas e bionergéticas, todo o corpo que se move deliberadamente e intensamente pelo espaço começa a liberar toxinas através dos poros e da respiração, libera os pensamentos e estabelece uma forte conexão com a nossa consciência, nossas emoções, nossa espontaneidade e nosso silêncio.

Leia também: O Magnífico Teatro Negro de Praga

Farra de Teatro 2016
Protesto
Farra de Teatro 2016
Abraços Grátis

Então você coloca 100 pessoas neste estado a lidar com cenas que discutem temas tão contemporâneos como preconceito, opressão, violência contra as mulheres, prostituição infantil, consumo desenfreado, descuidos com o planeta, violência policial, violência nas relações humanas, corrupção política, ufa… Então você coloca 100 pessoas neste estado para falar – e vivenciar – anseios humanos naturais como o amor, a paz, a sexualidade, a fome (de tudo isso)…

Farra de Teatro 2016
Cena do protesto

Misturando tudo isso, o que acontece com quem participa – não vou dizer atua, porque não existe atuação na farra de teatro, apenas entrega sincera – pode ser, talvez um pouco mais e prazeroso e ao mesmo tempo doloroso do que para quem simplesmente assiste. Não foi pela dor nos joelhos, mas sim pelo incômodo de lidar com meus próprios preconceitos, sim, aqueles que a gente grita para o mundo que não tem. O desconforto mental de abraçar com força uma pessoa estranha das minhas relações. A sensação de trocar aquele olhar demorado com alguém que não conheço ou até de beijar alguém de verdade, sem combinação prévia, no ato do improviso. O medo e a vergonha de solidarizar com uma mulher que acabara de sofrer um ato de violência extrema tirando a minha própria roupa, em público, para o público.

Farra de Teatro 2016
Cena do Tai Chi
Farra de Teatro 2016
Cena do atropelamento

Esta “salada de frutas” soube ser muito bem representada na cena onde compartilhamos a própria salada de frutas com o público. É entendermos na prática, pela intensa vivência da farra de teatro que o verdadeiro sabor da vida é a mistura. São pessoas completamente diferentes compartilhando aqueles elementos da vida que nos fazem iguais. É o abraçar sem limites, olhar para o outro com amor e compaixão, é compartilhar o nosso alimento, a nossa água, as nossas alegrias, a nossa dança. É cuidar do outro como cuidamos de nós mesmos, entendendo de uma forma mais consciente que todos somos uma “coisa” só. Aprender a lidar com os conflitos e dores de forma meditativa, com observação e contemplação profunda, sem julgamentos.




Farra de Teatro 2016
Salada de frutas

Participar da Farra de Teatro é muito mais do que ser parte de um trabalho de teatro. É uma experiência marcante, transformadora. E este será para o mim o primeiro ano do resto da vida da Farra de Teatro. Obrigado Elisa, Lipsen, Roberto, Yamini e toda essa galera linda!

*Obrigado meus joelhos pela compreensão.

Evoé e Namastê!

*As fotos da Farra de Teatro 2016  foram gentilmente cedidas pelo fotógrafo Rafael Guerra.
Farra de Teatro 2016
Bloco
Farra de Teatro 2016
Caminhada pala paz
Farra de Teatro 2016
Cena da Separação do lixo

Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016 Farra de Teatro 2016

Assista ao vídeo e participe da campanha de financiamento coletivo para a realização da edição de resistência da farra de teatro 2017. Para participar é só clicar AQUI.

André Marcelo

Notívago por natureza. Sagitariano apaixonado por viagens improvisadas que provocam o contato com a história e com a natureza. Amante da música, do teatro, do cinema. Das dezenas de coisas que já fiz, me amasiei com a produção cultural. Uma vida experimentando novas formas de expressão e relacionamento comigo mesmo e com o mundo.

facebook comments:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *