O encerramento do Queermuseu: homofobia disfarçada?




Achei muito oportuno escrever um artigo aqui sobre a polêmica do encerramento da exposição “Queermuseu”, pelo Santander por conta de inúmeras manifestações de repúdio nas redes sociais. A exposição entrou em cartaz no dia 15 de agosto no Santander Cultural de Porto Alegre ficaria até o dia 8 de outubro. Porém, por conta da polêmica instaurada, a entidade resolveu interromper a mostra. Algumas imagens entre as mais de 270 obras, de 90 artistas plásticos, que tratavam de forma explícita sobre questões voltadas à sexualidade humana, foram consideradas ofensivas por quem contestou a exposição. O conteúdo foi classificado como um “incentivo à pedofilia, zoofilia e contra os bons costumes”, por integrantes do grupo MBL (Movimento Brasil Livre).

Segundo o jornalista Roger Lerina, “é imprescindível que todos que defendem a arte, a cultura, a liberdade de expressão e a democracia manifestem seu repúdio a mais esse avanço da estupidez e das trevas. MAIS LUZ”! Um dos incentivadores do boicote foi o jornalista e apresentador Bibo Nunes, que usou a suas redes sociais para influenciar seus seguidores e assim, juntar forças para pressionar a entidade a encerrar a exposição. O jornalista, além de incentivar o fim da mostra, proferiu palavras intencionalmente homofóbicas como “QUEER quer dizer veado, gaizão, em inglês”.

Enquanto artistas, técnicos e estudiosos discutem os rumos da produção artística como catalizadora da ruptura de velhos paradigmas, o setor mais conservador da sociedade reage, impondo um moralismo desmedido e desprovido de argumentos consistentes. A grande maioria dos que se manifestaram contra a mostra, nem sequer compareceram ao museu. E, além de não possuírem estudo, conhecimento, nem repertório acerca da história, das linguagens e conceitos da arte, ainda apelaram para falas do senso comum como “defesa da família, dos bons costumes, e afronta a deus e aos símbolos sagrados”.

Manifestações no Facebook sobre a exposição Queermuseu:

Queermuseu Facebook

Chamada e vídeo do jornalista Bibo Nunes:

“Neste domingo, foi fechada a mostra QUEERMUSEU, que mostrava zoofilia (sexo entre uma pessoa e um animal), Vilipêndio religioso (deboche a religião), atos obscenos, ideologia de gênero infantil e degradação da família. A mostra teve patrocínio do Ministério da Cultura, por incrível que pareça. QUEER quer dizer veado, gaizão, em inglês. Estou indo ao Ministério Público fazer a denúncia deste descalabro. Se os bons ficam quietos, os maus tomam conta!

FECHADA A ESCANDALOSA MOSTRA DO SANTANDER CULTURAL!Neste domingo, foi fechada a mostra QUEERMUSEU, que mostrava zoofilia( sexo entre uma pessoa e um animal), Vilipêndio religioso(deboche a religião), atos obscenos, ideologia de gênero infantil e degradação da família. A mostra teve patrocínio do Ministério da Cultura, por incrível que pareça.QUEER quer dizer veado, gaizão, em inglês.Estou indo ao Ministério Público fazer a denúncia deste descalabro.Se os bons ficam quietos, os maus tomam conta!Confira a matéria e curta minha página.

Publicado por Bibo Nunes em Domingo, 10 de setembro de 2017

Desabafo de Gaudencio Fidelis, curador da exposição “Queermuseu”:

“Neste momento, depois de 5 horas me ocorre que a despeito de tudo que o ato do Santander representa, o pior foi o precedente que eles ajudaram a criar! Agora esses doidos reacionários vão achar que em 3 dias no meio de um feriado podem fechar uma exposição. Isso o pior de tudo a curto e médio prazo! Um estrago pelo qual todos nós iremos pagar!”

Quando lidamos com questões polêmicas nas artes, principalmente utilizando símbolos ou personagens de religiões como a católica, sempre estaremos sujeitos à reações fervorosas. E não só nos dias atuais, basta estudar um pouco história da arte para presenciar muitos episódios semelhantes. A sexualidade sempre foi considerada pelas religiões como “suja”, relacionada com o que há de mais impuro no homem. A necessidade de quebra dos paradigmas impostos culturalmente pelos nossos ancestrais, têm criado um terreno fértil para muitas produções com temáticas contestadoras e, muitas vezes, chocantes. Com as lutas por igualdade travadas pelos movimentos LGBT’s e a super popularização das redes sociais, este processo têm avançado. Porém, a atitude da entidade de encerrar a mostra acatando as manifestações reacionárias, causou preocupações na classe artística. A decisão da empresa abre um grave precedente que pode ser caracterizado como censura. Ainda que algumas das obras causem repulsa ou choque, o objetivo é justamente fazer refletir, sem esquecer que vivemos num estado laico. O encerramento da exposição legitima, de forma velada, os discursos de preconceito e homofobia tão difundidos nas redes sociais. Sem dúvidas, vivemos tempos obscuros…

Leia a nota publicada pelo Santander Cultural

“Nos últimos dias, recebemos diversas manifestações críticas sobre a exposição Queermuseu – Cartografias da diferença na Arte Brasileira. Pedimos sinceras desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra.

O objetivo do Santander Cultural é incentivar as artes e promover o debate sobre as grandes questões do mundo contemporâneo, e não gerar qualquer tipo de desrespeito e discórdia. Nosso papel, como um espaço cultural, é dar luz ao trabalho de curadores e artistas brasileiros para gerar reflexão. Sempre fazemos isso sem interferir no conteúdo para preservar a independência dos autores, e essa tem sido a maneira mais eficaz de levar ao público um trabalho inovador e de qualidade.

Desta vez, no entanto, ouvimos as manifestações e entendemos que algumas das obras da exposição Queermuseu desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo. Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana.

O Santander Cultural não chancela um tipo de arte, mas sim a arte na sua pluralidade, alicerçada no profundo respeito que temos por cada indivíduo. Por essa razão, decidimos encerrar a mostra neste domingo, 10/09. Garantimos, no entanto, que seguimos comprometidos com a promoção do debate sobre diversidade e outros grandes temas contemporâneos”.

Leia também: Chico e a polêmica “Tua Cantiga”

Como muitas das manifestações e posts nas redes demonstram claramente discursos homofóbicos, algumas entidades de promoção dos direitos LGBT anunciaram ato em repúdio ao fechamento da mostra, conforme cartaz. E você o que pensa? Compartilhe a sua opinião lá nos comentários!

Queermuseu

Abaixo o vídeo a algumas fotos da mostra Queermuseu:

Queermuseu

Queermuseu
Queermuseu

Folder do Queermuseu:

Folder Queermuseu

Queermuseu

Queermuseu

Queermuseu

Queermuseu

Fontes: Zero Hora, G1, Extra Classe, Jornal do Comércio

André Marcelo

Notívago por natureza. Sagitariano apaixonado por viagens improvisadas que provocam o contato com a história e com a natureza. Amante da música, do teatro, do cinema. Das dezenas de coisas que já fiz, me amasiei com a produção cultural. Uma vida experimentando novas formas de expressão e relacionamento comigo mesmo e com o mundo.

facebook comments:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *