Revelando os efeitos especiais do cinema antigo

Houve um tempo em que os efeitos especiais aplicados no cinema eram tão toscos, que qualquer um poderia perceber que se tratava de algum artifício criativo para engambelar o espectador. Já que o cinema e a tecnologia ainda estavam engatinhando, até mesmo os efeitos mais simples acabavam revelando a presença de algum truque. Nos dias atuais, são raríssimos os filmes que não têm, pelo menos, um ou outro efeito especial, mesmo que imperceptível. Com toda a tecnologia que hoje dispomos na palma das nossas mãos, é muito fácil fazer até um pequeno vídeo aplicando alguma mágica. Mas nem sempre foi assim… Lá no início do cinema, quando ainda era mudo, as coisas eram bem mais complicadas.

Os primeiros efeitos especiais

Os primeiros efeitos especiais do cinema surgiram pouco antes do ano de 1900. Foi nesta época que o cineasta francês George Méliès começou a experimentar o uso de alguns artifícios. O uso de miniaturas mecânicas, fundos pintados, múltiplas exposições e stop motion foram experimentos indispensáveis para a evolução do cinema que temos hoje. Em torno da década de 30, com a invenção do croma key, o negócio dos efeitos especiais começou a decolar. Criado por Linwood G. Dunn e aperfeiçoado pelo produtor Larry Butler, o croma key revolucionou a história do cinema. A famosa tela verde (ou azul) utilizada como fundos de cena, possibilitou a partir de recursos de edição, inserir uma outra imagem sobrepondo à cena. Uma tecnologia que permitiu à produção cinematográfica combinar cenas, mudar localizações, consertar erros, maximizar orçamentos e criar efeitos mais complexos.

A revolução

Mas foi em 1977, quando o cineasta George Lucas apresentou Star Wars, que aconteceu a verdadeira revolução! Pioneiro no uso da computação gráfica, mesmo na década de 70, conseguiu ganhar um lugar na história do cinema. Hoje, George Lucas está entre as pessoas mais ricas e influentes dos EUA e comanda a Industrial Light & Magic, a mais famosa empresa de efeitos visuais do mundo.

Imagine agora como era o mundo para os primeiros cineastas… Foram estes gênios que, sem recursos, ousavam na criatividade com recursos muito simples. Na sequencia abaixo, alguns trechos de filmes da era do cinema mudo, os efeitos e a revelação da mágica. Abaixo do vídeo, a lista dos filmes, respectivamente.

Leia também: Filme colorido de 1946 sobre Porto Alegre surge na internet!

 

Trechos dos filmes:

O Homem Mosca (Safety Last), 1923 – Fred C. NewmeyerSam Taylor

Tempos Modernos (Modern Times), 1936Charlie Chaplin

Ella Cinders, 1926 – Alfred E. Green

O Pequeno Lorde (Little Lord Fauntleroy), 1936 – John Cromwell

Sherlock Jr, 1924 – Buster Keaton

The Black Pirate, 1926 – Allen H. Miner

Ben-Hur – Uma Narrativa de Cristo (Ben-Hur: A Tale of the Christ), 1925 – Fred Niblo

Os Dez Mandamentos (The Ten Commandments), 1923 – Cecil B. DeMille

Fontes: Coruja Informa, Jornal Jr, eHow, Natrevideo.

André Marcelo

Notívago por natureza. Sagitariano apaixonado por viagens improvisadas que provocam o contato com a história e com a natureza. Amante da música, do teatro, do cinema. Das dezenas de coisas que já fiz, me amasiei com a produção cultural. Uma vida experimentando novas formas de expressão e relacionamento comigo mesmo e com o mundo.

facebook comments:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *