O poético dicionário de sentimentos indefiníveis

O medo de não conseguir mudar de atitude, a sensação de que o tempo está correndo demais, o desejo de sentir a vida com a intensidade da infância, o desconforto de se sentir ao mesmo tempo invasivo e vulnerável ao fazermos contato visual com um desconhecido, o desejo de sumir da existência… Estes e outros sentimentos complexos ganharam nomes e se transformaram em vídeos nas mãos de um designer norte-americano. Assim como a “saudade” e um sentimento que consegue ser definido com perfeição em apenas uma palavra da língua portuguesa, diversos sentimentos mais complexos, para serem compreendidos, precisam de longos parágrafos. Se até então ninguém soube como resumi-los em apenas uma palavra, John Koenig fez este exercício. Ele criou o Dictionary of Obscure Sorrows, “Dicionário das dores obscuras”,  que descreve sentimentos para os quais, muitas vezes, não temos palavras. As definições são curtas, mas os vídeos são, simplesmente inspiradores. Se rolar uma forte identificação com alguns destes sentimentos, não deixe de comentar!

Lachesism:

O desejo de ser atingido por um desastre – sobreviver a uma queda de avião, ou perder tudo em um incêndio.

Lutalica:

A parte de que você não se encaixa em categorias.

Klexos: 

A arte de reviver o passado

Zenosyne:

A sensação de que o tempo está passando cada vez mais rápido.

Onism:

A consciência de quão pequena é a sua experiência do mundo.

Avenoir:

O desejo de que as memórias fluíssem da frente para trás.

Leia também: O lado obscuro do planeta “Melancholia” de Lars Von Trier

Vemödalen:

A sensação de fotografar algo sensacional e se dar conta que milhares de outras fotos iguais já existem.

Ambedo:

Um tipo de transe melancólico no qual você se torna completamente absorto por pequenos detalhes sensoriais, o que por fim, leva a uma avassaladora constatação da fragilidade da vida.

Kudoclasm:

Quando os sonhos de uma vida toda são trazidos de volta à Terra.

Opia:

A intensidade ambígua de olhar alguém nos olhos, e sentir-se simultaneamente invasivo e vulnerável.

Keta:

Quando uma cena de um passado distante surge inexplicavelmente na sua mente.

Sonder:

A percepção do fato de que cada pessoa que você cruza pela rua, está vivendo uma vida tão complexa quanto a sua.

Yu Yi:

O desejo de sentir novamente a intensidade dos sentimentos da juventude.

Nodus Tollens:

Quando sua vida não cabe numa história.

Anemoia:

Saudade de viver num tempo que você nunca conheceu.

* Estes são só alguns poucos. Confira o trabalho completo no site do projeto original do site de John Koening e no seu Canal do Youtube!

André Marcelo

Notívago por natureza. Sagitariano apaixonado por viagens improvisadas que provocam o contato com a história e com a natureza. Amante da música, do teatro, do cinema. Das dezenas de coisas que já fiz, me amasiei com a produção cultural. Uma vida experimentando novas formas de expressão e relacionamento comigo mesmo e com o mundo.

facebook comments:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *